quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Poema Vicioso

Por Eduardo Humbertto
[Trecho do poema...]

Tenho medo do que escrevo,
orgulho talvez,
mas um anseio se mostra,
apenas meu ser o enxerga.

5 comentários:

Leka Massensini... disse...

uhuuuuuuuuu, olha esse poder...

Carolina. disse...

Belíssimos versos, Eduardo...
Adoro como você escreve.
E adoro a forma como coloca pra fora seus sentimentos e angustias. Parece que em muito, me vejo em você.:)

Grande beijo!

Obrigada pelo comentário no blog.
Você é sempre muito bem vindo.

Letícia Mariano. ღ disse...

Vendo por esse lado, me sinto completamente despida. rs


Ótimo poema.. lindo lindo! :)

Beijos com sodade, Dudu!

Adrielly Soares disse...

Você traduziu perfeitamente a vida de um escritor. E mesmo que a gente não escreva da gente, no fundo sempre parece que é, tanto pros outros, quanto pra gente. Não lembro quem disse que depois que escrevia, o que havia escrito acabava virando verdade.

Gostei muito do poema.

Eduardo Humbertto disse...

Hum... interessante essa observação: 'depois de escrever, o que está escrito acabava virando verdade.'

Valeww!