segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Águas da Alma


[Trecho do Poema]

[...]
Enxarco o rosto com água corrente,
crio a falsa sensação de desabafo,
sei que as lágrimas verdadeiras
estão se acumulando em algum lugar,
quero encontrá-las e dedicar confidências.

A poesia que agora fala por mim,
age por minúncias,
e antes da palavra final
o lápis perde a firmeza,
a vista embaralha,
uma lágrima escapa
e abraça o poema. [...]

2 comentários:

Sueli Rodrigues disse...

Que beleza!
Adorei a poesia!
Abraço
Su

Eduardo Humbertto disse...

Obrigado pela visita, Sueli!
E pelo comentário, claro.
Abraço.